A COMPREENSÃO DA VIOLÊNCIA CONJUGAL NA PERSPECTIVA PSICANALÍTICA

UMA REVISÃO DA LITERATURA

Palavras-chave: violência conjugal, dinâmica, psicanálise

Resumo

A violência conjugal pode ser compreendida por meio de diversas perspectivas e, no presente trabalho, objetivou-se compreender como este fenômeno é abordado na literatura científica psicanalítica. Para tanto, foram selecionados sete artigos disponibilizados nas bases de dados LILACS, PePSIC, SciELO e PUBMED, conforme os critérios de inclusão. Pôde-se compreender que, de maneira geral, os autores entendem o fenômeno a partir da dinâmica vincular, que abrange ambos membros do casal como participantes e mantenedores de acordos intersubjetivos que mantém o fenômeno. A violência é demarcada quando o espaço da manifestação subjetiva de um dos membros é anulado, resultando assim na imposição de desejo de um dos membros do casal sobre o outro. Em outras perspectivas teóricas, como as que contemplam discussões de gênero, o fenômeno é compreendido como unidirecional, ou seja, as vítimas e os agressores são bem estabelecidos em um contexto e as relações de dominação são assimétricas. Outros estudos argumentam que a violência entre casais é um problema de saúde pública, com graves consequências sociais. Observa-se que a violência conjugal ainda é pouco discutida a partir da perspectiva psicanalítica, havendo um montante maior de estudos advindos de outras vertentes teóricas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maíra Bonafé Sei, Dr, Universidade Estadual de Londrina

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (2002), graduação em Licenciatura em Psicologia pela Universidade de São Paulo (2004), mestrado (2004), doutorado (2009) e pós-doutorado (2017) em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professor adjunto do Departamento de Psicologia e Psicanálise, Orientadora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia e Diretora da Clínica Psicológica da Universidade Estadual de Londrina (Gestão 2014-2018 e 2018-2022). É membro da Association Internationale de Psychanalyse de Couple et Famille - AIPCF e da Associação de Arteterapia do Estado de São Paulo - AATESP desde 2006, membro da diretoria da Associação Brasileira de Psicanálise de Casal e Família desde 2017 e membro da diretoria da Associação Brasileira de Editores Científicos de Psicologia desde 2018. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Intervenção Terapêutica, atuando principalmente nos seguintes temas: arteterapia, casal e família, psicanálise, Winnicott, serviços-escola de Psicologia e saúde mental.

 

Publicado
2019-09-05
Como Citar
Sanches, M. G. M., & Sei, M. B. (2019). A COMPREENSÃO DA VIOLÊNCIA CONJUGAL NA PERSPECTIVA PSICANALÍTICA. Revista Brasileira De Sexualidade Humana, 29(2). https://doi.org/10.35919/rbsh.v29i2.54
Seção
Trabalhos de Pesquisa